Felicidade e bem-estar

Os pais possuem um papel fundamental na formação dos filhos. Independente da idade, as relações com nossos pais são a base de como nosso cérebro enxerga todas as outras relações humanas. E isso acontece justamente porque o primeiro laço criado está dentro da nossa própria família.

Nosso primeiro referencial de relacionamento é dentro do círculo social que nascemos já inseridos. Esse contexto é responsável por desenvolver traços da personalidade humana visíveis até a velhice. Hábitos, limitações, anseios e lembranças. Sejam esse conjunto bom ou ruim.

A questão se dá quando o lado ruim é o que mais aflora. Como lidar quando aqueles que mais deveriam cuidar, acabam causando mais danos? O que são pessoas tóxicas? Existem pais tóxicos?

Não se sabe ao certo quando essa palavra começou a ser utilizada no tratamento de relações interpessoais. Seu significado segundo o dicionário Aurélio consiste em uma “substância ou agente que é capaz de provocar a morte ou de provocar graves alterações orgânicas ou funcionais”. Ou seja que fazem mal a saúde, nesse caso, principalmente a saúde mental.

 

Quais são os sinais de pais tóxicos?

1 – Você passa por cima das decisões que cabem apenas aos seus filhos

A extrema preocupação faz você acreditar que sabe que é melhor passar por cima das vontades do filho. Como por exemplo, faculdade, profissão, sonhos, beleza, etc. Mesmo que isso signifique a infelicidade dele. Crie seus filhos para fazer as melhores escolhas, e não escolha por eles.

 

2 – Você o critica constantemente

Frases como “Você faz tudo errado”, “Você não consegue sozinho” ou “Você não é capaz” causam um extremo desgaste emocional. Podendo se tornar até mesmo crenças limitantes que acompanharão até idades mais avançadas.

 

3 – Utiliza chantagem emocional para conseguir o que deseja

A chantagem é uma forma de manipulação. Toda vez que seu desejo é negado você utiliza algum meio emocional, seja culpa, raiva, pena, ou até mesmo dinheiro para conseguir fazer com que seu filho faça suas vontades como pai ou mãe.

 

4 – Desrespeita a intimidade e a vida pessoal de seus filhos

Após uma conversa pessoal ou confissão você espalha isso por todos os cantos e conta para todos problemas íntimos que deveriam ficar entre vocês. Algumas vezes relembrando o fato e utilizando-o como forma de atingir quando raiva ou tristeza te afligem.

 

5 – Você não quer que seu filho cresça e vá para longe de você

Há o desejo de que o filho permaneça sobre controle e dentro do seu campo de visão. Exige-se uma participação total na vida do filho. Você espera que seu filho te obedeça e não saia de casa tão cedo, mesmo ele sendo um eterno devedor, por tudo que foi feito por ele.

 

É possível restabelecer a paz nas relações entre pais e filhos?

No livro, a Simetria Oculta do Amor, do terapeuta alemão Bert Hellinger, responsável pela difusão do conteúdo relacionado ao método de constelação familiar, os conflitos severos são gerado quando alguma lei dentro do núcleo familiar está sendo negligenciada. As três regras de ouro para saúde das relações familiares está nas palavras pertencimento, ordem e equilíbrio.

Dentro dessas leis, o pertencimento se preocupa em acolher a pessoa e não julgar/acusar moralmente quem amamos; a ordem preza pelo respeito à hierarquia existente entre pais e filhos; e o equilíbrio, se preocupa em fazer com que haja uma balança na tomada de decisões e na forma de comunicar uns com os outros.

Apesar das três leis serem bem definidas, é importante entender que não se trata de aceitar tudo, mas refletir sobre os efeitos da situação em você, e mudar a si mesmo, reconhecendo seus limites. O que não é lá uma tarefa fácil. Mas independente de nível de dificuldades mudar de postura dentro desses casos é essencial para que esse ciclo se quebre.

 

Beijo na Alma!